Conheça os porcelanatos técnicos da Incepa, para áreas de alto tráfego

Com alta resistência mecânica , são linhas produzidas para suportar atrito

Linha Pro-Max, da Incepa, é resistente a alto tráfego

Escritórios, garagens, áreas comerciais e de lazer – ambientes com muita movimentação pedem por um cuidado especial na hora de escolher o piso ideal. A preocupação vai além da estética – é importante optar por uma peça resistente e fácil de manter, que apresente uma alta performance – como os porcelanatos técnicos da Incepa.

Também conhecidos como ‘toda massa’, os porcelanatos técnicos não recebem esmalte na superfície”, resume Simone Lourensi, design manager da Incepa, grande marca de revestimentos cerâmicos e pertencente à Roca Brasil Cerámica. Na prática, possuem alto grau de resistência mecânica por conta do seu processo de compactação e, por consequência abaixa porosidade, não permitindo a absorção de água (sua taxa é menor ou igual a 0,1%). Assim, sua estrutura os torna seguros e indicados para todos os tipos de espaço, especialmente para os de alto tráfego.

Seus principais acabamentos são os naturais – mais rústicos e com alta resistência a manchas – ou polidos, com brilho variável. Eles ainda podem ser encontrados com acabamento ABS, antiderrapante, fazendo com que possam ser utilizados em todos os tipos de ambiente. Bom exemplo é a linha Quartzita, que explora a textura da pedra naturalmente destonalizada, nas cores nude e cement.

Com estética marcante, a linha Oxi Ruddy aposta na aparência rústica, trazendo o ar enferrujado, do aço oxidado.


Linha Quartzita também é indicada para áreas de alto tráfego

Todo porcelanato técnico da Incepa possui bordas retificadas, que permite aplicação com juntas de apenas 1 mm”, aponta Simone. Isso garante uma paginação com poucas interferências, trazendo um efeito de unidade e elegância.

Seu grau de resistência varia de acordo com o desejo de aplicação. Para áreas com necessidade de resistência ao escorregamento – como um box de banheiro ou lavanderia, por exemplo – o coeficiente de atrito deve ser igual ou superior a 0,4. Para áreas de fluxo intenso, por sua vez, o ideal é optar pelo grupo G6. “Aplicado corretamente, com dupla camada, sem vazios e considerando juntas de movimentação e dessolidarização, o porcelanato técnico suporta o peso que o contrapiso aguenta”, explica.

São linhas de alta performance, que aliam beleza, resistência e muita durabilidade – impossível de errar!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.