Roca Brasil Cerámica ensina como não errar no processo de assentamento 

São procedimentos simples e que fazem a diferença no resultado e acabamento

Perfeitos para todos os ambientes, os porcelanatos são uma escolha prática na hora de revestir. Mas como assentá-los corretamente? São muitas texturas, relevos e tamanhos diferenciados, que merecem cuidado, planejamento e atenção extra para que possam brilhar.

Conhecer as técnicas é importante, mas detalhes podem fazer a diferença. “São procedimentos simples que diminuem a perda de material, melhoram a qualidade e eficiência da mão de obra e ainda potencializam o efeito estético das peças, levando em conta seu alinhamento, disposição e nivelamento”, pondera Simone Lourensi, design manager da Roca Brasil Cerámica.

Com expertise centenária, a empresa se firma no mercado como uma das maiores produtoras de porcelanato no Brasil. À frente do mercado com as marcas Roca e Incepa, segue conectada com as tendências mundiais, com soluções criativas, ousadas e sempre preocupadas com o meio ambiente.

De olho no mercado e em todas as dúvidas que rondam esse assunto, a Roca Brasil Cerámica, junto com sua equipe técnica, apresenta dicas para a hora de assentar que irão evitar dores de cabeça e problemas futuros. Confira!

Antes de assentar

Escolher o porcelanato correto para cada ambiente é essencial para garantir um bom resultado. Os porcelanatos técnicos, com alta resistência mecânica, são indicados para áreas com muito movimento – como é o caso da linha Pro e Pro Maxda Incepa.

Linha Pro, da Incepa, é tecnicamente adequada para todos os tipos de espaços,
residenciais ou comerciais.

Os esmaltados, por sua vez, têm superfícies muito variadas. Lisas, ásperas, brilhantes ou mates, apresentam resistências (PEI) diferentes que devem ser observadas. Quanto maior o tráfego, maior deve ser a PEI, sendo 5 o nível máximo.

Sahara Noir, da Roca (120 x 120 cm), esmaltada, é indicada para áreas internas.

Com isso em mente, é possível pensar em um projeto de paginação que ainda exalte as características visuais das peças escolhidas. “Detalhe que não pode passar despercebido é a orientação das peças, indicada na embalagem. Sempre simule a melhor disposição, valorizando os tons, faces e texturas”, aponta Simone Lourensi.

Uma paginação bem pensada combina as faces e suas variações da melhor maneira possível.
É o caso do Calacata Gold, da Roca, (60 x 120 cm) e seus veios marcados.

Cortes muitas vezes são necessários e devem ser feitos com cortador de cerâmica de bancada – para cortes retos – ou máquina manual, para inserção ou encaixes. Se necessário, uma lixa de ferro ajuda a dar acabamento.

Um bom planejamento ainda leva em conta imprevistos ou perda de peças. Assim, o ideal é adquirir uma margem de 10% a mais de produto, garantindo que todos sejam do mesmo lote e tonalidade.

Argamassa

Escolher a argamassa correta pode fazer toda a diferença no projeto, especialmente quando se fala de revestimentos cerâmicos, que possuem uma grande variação de porosidades e aderências. Existem argamassas específicas para ambientes internos e externos, por exemplo, e suas indicações devem sempre ser respeitadas.

  • ACI: indicada para ser aplicada apenas em cerâmicas, na área interna
  • ACII: mais aderente, é indicada para aplicação interna ou externa
  • ACIII: muito resistente, é indicada para todos os formatos, para paredes e pisos internos, externos e fachadas
  • Ainda existe uma argamassa específica para piso sobre piso

O ideal é preparar material o suficiente para ser consumido em até duas horas, para que o produto não perca suas propriedades ao ficar exposto ao ar.

Vale ressaltar que a aplicação da argamassa varia de acordo com o tamanho das peças.

Para formatos menores do que 30 x 30 cm, a argamassa deve ser aplicada apenas no contrapiso. Para formatos maiores, por sua vez, deve-se aplicar tanto na superfície de assentamento, quanto no fundo da peça – como é o caso da linha Ágata, da Roca, com suas lâminas de 60 x 120 cm, ou da linha Seattle (90 x 90 cm), da Incepa.

  

Grandes formatos devem receber argamassa tanto no fundo da peça, quanto no contra piso.
É o caso das linhas Ágata e Seattle

Assentamento

Na hora de dispor as peças, o ideal é iniciar pela extremidade rente a parede, usando-a de guia. Espaçadores plásticos garantem o espaçamento correto entre as peças e são indispensáveis, especialmente para grandes formatos.

É importante respeitar o tempo de repouso do piso. O revestimento deve ficar parado de dois a três dias para que, então, o rejunte possa ser aplicado.

Sobre a Roca Brasil Cerâmica

Ao longo de 100 anos de história, a marca espanhola Roca tem sido pioneira em questões que envolvem tecnologia, design e sustentabilidade. Em 1980 o Grupo Roca iniciou sua produção de revestimentos cerâmicos, com lançamentos atentos às tendências emergentes e já consolidadas, firmando seu DNA de vanguarda.

Presente no Brasil desde 1999, com a aquisição da marca Incepa, consolida sua força no mercado com porcelanatos de pequenos e grandes formatos, com diversos acabamentos e impressões que evocam as matérias em seu estado bruto. Suas peças podem ser encontradas em home centers e pontos de venda exclusivos.

www.rocaceramica.com.br
Showroom Roca Brasil Cerámica
Av. Padre Natal Pigato, 974
Vila Delurdes, Campo Largo
tel. (41) 3391-1430

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.